Início » Séries para assistir no mês do orgulho LGBTQIA+

Séries para assistir no mês do orgulho LGBTQIA+

Junho é o mês do orgulho LGBTQIA +, e muitas séries já abordaram a diversidade nas relações amorosas. Séries que ficaram famosas como “Orange is the New Black (2013-2019)”. Na é mostrada a história de Piper (Taylor Schilling), uma jovem de classe média que acaba presa por ter participado de um esquema de contrabando de drogas. Foram 7 temporadas, contando a vida da personagem principal.

O sucesso de “Orange is the New Black” se deve ao entrosamento do elenco, a abordagem feita sobre as relações homoafetivas. Um dos momentos que foi muito legal de assistir, é o romance de Poussey (Samira Wiley)  e  Soso (Kimiko Glenn). A protagonista também vive um affair ao lado de Alex (Laura Prepon).

Outra série da Netflix que explorou o assunto foi “Hollywood (2020)”, que fez uma releitura de como deveria ter acontecido a era do cinema de ouro norte-americano. Criada por Ryan Murphy (Glee, American Horror Story e American Crime Story). A minissérie se passa em 1940, mostrando a chegada de um grupo de participantes que tentam a sorte frente às câmeras. Podemos acomanhar a história do casal formado pelo escritor negro Archie Coleman (Jeremy Pope) e o ator Rock Hudson (Jake Picking). 

O final da série tem um momento interessante quando Hudson e Coleman, cansados de esconder o relacionamento, resolvem revelar o romance no tapete vermelho do Oscar. 

Veja as de outras séries que entram no mundo sensivel do amor entre pessoas do mesmo sexo.

Pose

Pose (2018-2021) acompanha Blanca (MJ Rodriguez), uma participante de bailes LGBTQ que acolhe algumas pessoas marginalizadas pela sociedade, como o talentoso dançarino sem-teto Damon (Ryan Jamaal Swain) e a profissional do Angel (Indya Moore), que se apaixonou por um cliente. A se passa no ano de 1987. Os criadores são Ryan Murphy e Brad Falchuk.  Para quem quiser maratonar, a série teve três temporadas.

Leia Mais
Longevidade dos LGBTQIA+: Solidão é a companheira de muitos

Heartstopper 

A sensibilida da série Heartstopper está em contar como agem os adolescentes ao descobrir os desejos e interesse por pessoas do mesmo sexo. Charlie (Joe Locke) e Nick (Kit Connor), vivem situações diferentes, o primeiro sofre por ser  vítima de bullying na escola após ter se assumido gay, já o segundo, é aquele rapaz popular da escola, por ser o melhor jogador de rúgbi.

Os dois que estão em mundos tão diferentes, acabam ficando muito próximos, isso acaba fazendo com que Charlie sinta algo diferente pelo o amigo, um hétero de carterinha. Porém, Nick também está mexido com a nova amizade, o que leva ao questionamento, sua dúvida quanto à sua própria identidade. O título está disponível na Netflix e tem uma temporada.

 Euphoria

A série da HBO Max, Euphoria explora temas como sexualidade, drogas e saúde mental, com uma realidade que choca o telespectador. A se tornou uma das sensações do momento.

Rue (Zendaya) passou por um difícil ao sofrer uma overdose. Agora, a garota volta a frequentar a escola e vai precisar lidar com certas situações. Rue sofre com transtornos mentais que impactam sua vida. Ela acaba se apaixonando por Jules (Hunter Schafer), uma menina trans que também passa por momentos difíceis. 

Love Victor

Victor (Michael Cimino) chega a de Atlanta, lá vai precisar lidar com os acontecimentos do lugar novo, e ao mesmo fazendo descobertas sobre sua sexualidade. Sua vida muda ao conhecer o colega de escola, Benji (George Sear). O rapaz passa a ter sentimentos pelo o amigo, o que o deixa indeciso.

Victor vai precisar da de seu amigo Simon Spier (Nick Robinson), um ex-estudante do ensino médio que revelou sua homossexualidade há pouco e vira uma espécie de mentor para ele. São três temporadas que estão disponíveis no Star+.

Leia Mais
Situações de Sentenças Aditivas no Direito Brasileiro

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.